terça-feira, 28 de outubro de 2014

Não há prazo para liberação da ponte da BR-287. Engenheiros do Dnit foram ao local e constataram que problema é na fundação e nas estacas.


Fotos: Cristiano Tascheto

A ponte da várzea do Rio Toropi, na BR-287, entre São Pedro do Sul e o trevo de acesso a Mata, está interrompida por tempo indeterminado, informou o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (Dnit) na manhã desta terça-feira. A estrutura cedeu na noite de segunda-feira devido a problemas na fundação e nas estacas .
Não há prazo para liberação da ponte da BR-287   Cristiano Taschetto/Arquivo pessoal
Conforme o superintendente regional do Dnit, João Carlos Tonetto, que esteve no local por volta das 7h desta terça-feira, a pista não estaria comprometida:

- Isto não se resolve com minutos nem horas. É uma obra _ esclarece o engenheiro, que acredita que a chuva dos últimos dias pode ter provocado a erosão do solo, o que acabou danificando as estacas da ponte.

Local está sinalizado

Desde a madrugada, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e a Brigada Militar (BM) isolam o trecho, que fica no quilômetro 313,5 da rodovia.

- Procuramos achar uma alternativa junto com a PRF para fazer um desvio. Além disso, estamos atrás de especialistas para fazer um levantamento topográfico e um projeto de reestruturação da ponte _ garante Tonetto.

No trevo de acesso a São Pedro Sul e a Dilermando de Aguiar já há sinalização. Uma placa informa os motoristas que há uma ponte com problemas a 30 quilômetros dali.

Rotas alternativas aumentam a viagem

A gerência da Estação Rodoviária de Santa Maria afirmou que recebeu no início da manhã desta terça a informação de que o trânsito está bloqueado na ponte do Rio Toropi. Conforme Luís Callegaro Borsa, as empresas que passam pelo local devem definir seus desvios. Os ônibus que saem rumo a cidades como Cacequi, Santiago, São Borja e Uruguaiana terão de optar por rotas alternativas, o que implica no aumento do tempo de viagem.


Ainda, na madrugada de segunda, uma passageira que vinha em um ônibus de Alegrete para Santa Maria afirmou que, ao se aproximar da ponte, havia uma fila de carros. Segundo ela, o motorista teve de fazer o desvio pela RS-640, passando por São Vicente do Sul, Cacequi e Rosário do Sul para pegar a BR-290 e seguir pela BR-158 (Faixa de Rosário) até chegar a Santa Maria. A viagem acabou levando 2 horas e meia a mais.

O empresário Alberto Jacob Mallmann saiu de Estrela na madrugada desta terça-feira. Ele ia com a família para Santiago, mas chegando próximo à ponte foi avisado que não poderia seguir viagem. Motoristas orientaram o empresário a utilizar uma estrada de chão, por Dilermando de Aguiar. Conforme Mallamann, ele conseguiu andar cerca de 15 quilômetros e resolveu voltar, pois a estrada estava intrafegável.

_ Agora temos que voltar para casa. Foram mais 600 quilômetros, fora as despesas _ lamentou o motorista.

A PRF orienta os motoristas a fazer desvios pelas BRs, como a 158, que sai de Santa Maria em direção a Rosário do Sul, pegando depois a BR-290 até Rosário e dobrando à direita em direção a Cacequi. Em São Vicente do Sul, retorna à BR-287.

Para quem vai do Centro ao Noroeste do Estado (para cidades como Santo Ângelo, São Luiz Gonzaga e São Borja), a alternativa é sair de Santa Maria e seguir até Cruz Alta pela BR-158, dobrando à esquerda em direção à fronteira.

Leitor Cristiano Taschetto enviou fotos do pilar danificado

Nenhum comentário:

Postar um comentário