quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Em tempo: Resultado da Eleição para Presidente da República em São Pedro do Sul - RS, no 2º turno 2014.

Aécio Neves  5.892 votos 56,34 %

Dilma            4.566 votos 43,66 %


CAI A PONTE SOBRE A VÁRZEA DO RIO TOROPI, NA BR 287, QUE ESTAVA INTERDITADA.

Fonte: Diário de Santa Maria
Foto: Claudio Vaz / Agência RBS



A ponte sobre a várzea do Rio Toropi, na BR-287, caiu por volta das 14h30min desta quinta-feira. A estrutura estava interditada desde a segunda-feira, quando cedeu e apresentou problemas nas estacas e nos pilares de sustentação.

A chuva que cai desde a madrugada na Região Central pode ter contribuído para a queda. Os pilares de sustentação estavam cedendo a cada dia, e o Dnit já havia alertado que era grande o risco de a ponte desabar.
— A queda da ponte não afeta em nada o cronograma das obras porque ela teria de ser derrubada de qualquer maneira — afirmou o supervisor do Dnit em Santa Maria, João Carlos Tonetto.

Conforme o Dnit, os escombros da ponte que caiu serão retirados pela mesma empresa que construirá a nova. A escolha da empresa depende da aprovação de um regime especial, que dispensa a licitação tradicional em casos emergenciais. Um engenheiro do órgão estava no local na hora da queda e registrou o momento.

Mesmo com a queda da ponte, o desvio que será feito ao lado dela continua sendo erguido. Neste momento, uma equipe do Dnit está no local colocando as pedras que servirão de base para o desvio, localizado a cerca de 300 metros da ponte caída.

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Não há prazo para liberação da ponte da BR-287. Engenheiros do Dnit foram ao local e constataram que problema é na fundação e nas estacas.


Fotos: Cristiano Tascheto

A ponte da várzea do Rio Toropi, na BR-287, entre São Pedro do Sul e o trevo de acesso a Mata, está interrompida por tempo indeterminado, informou o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (Dnit) na manhã desta terça-feira. A estrutura cedeu na noite de segunda-feira devido a problemas na fundação e nas estacas .
Não há prazo para liberação da ponte da BR-287   Cristiano Taschetto/Arquivo pessoal
Conforme o superintendente regional do Dnit, João Carlos Tonetto, que esteve no local por volta das 7h desta terça-feira, a pista não estaria comprometida:

- Isto não se resolve com minutos nem horas. É uma obra _ esclarece o engenheiro, que acredita que a chuva dos últimos dias pode ter provocado a erosão do solo, o que acabou danificando as estacas da ponte.

Local está sinalizado

Desde a madrugada, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e a Brigada Militar (BM) isolam o trecho, que fica no quilômetro 313,5 da rodovia.

- Procuramos achar uma alternativa junto com a PRF para fazer um desvio. Além disso, estamos atrás de especialistas para fazer um levantamento topográfico e um projeto de reestruturação da ponte _ garante Tonetto.

No trevo de acesso a São Pedro Sul e a Dilermando de Aguiar já há sinalização. Uma placa informa os motoristas que há uma ponte com problemas a 30 quilômetros dali.

Rotas alternativas aumentam a viagem

A gerência da Estação Rodoviária de Santa Maria afirmou que recebeu no início da manhã desta terça a informação de que o trânsito está bloqueado na ponte do Rio Toropi. Conforme Luís Callegaro Borsa, as empresas que passam pelo local devem definir seus desvios. Os ônibus que saem rumo a cidades como Cacequi, Santiago, São Borja e Uruguaiana terão de optar por rotas alternativas, o que implica no aumento do tempo de viagem.


Ainda, na madrugada de segunda, uma passageira que vinha em um ônibus de Alegrete para Santa Maria afirmou que, ao se aproximar da ponte, havia uma fila de carros. Segundo ela, o motorista teve de fazer o desvio pela RS-640, passando por São Vicente do Sul, Cacequi e Rosário do Sul para pegar a BR-290 e seguir pela BR-158 (Faixa de Rosário) até chegar a Santa Maria. A viagem acabou levando 2 horas e meia a mais.

O empresário Alberto Jacob Mallmann saiu de Estrela na madrugada desta terça-feira. Ele ia com a família para Santiago, mas chegando próximo à ponte foi avisado que não poderia seguir viagem. Motoristas orientaram o empresário a utilizar uma estrada de chão, por Dilermando de Aguiar. Conforme Mallamann, ele conseguiu andar cerca de 15 quilômetros e resolveu voltar, pois a estrada estava intrafegável.

_ Agora temos que voltar para casa. Foram mais 600 quilômetros, fora as despesas _ lamentou o motorista.

A PRF orienta os motoristas a fazer desvios pelas BRs, como a 158, que sai de Santa Maria em direção a Rosário do Sul, pegando depois a BR-290 até Rosário e dobrando à direita em direção a Cacequi. Em São Vicente do Sul, retorna à BR-287.

Para quem vai do Centro ao Noroeste do Estado (para cidades como Santo Ângelo, São Luiz Gonzaga e São Borja), a alternativa é sair de Santa Maria e seguir até Cruz Alta pela BR-158, dobrando à esquerda em direção à fronteira.

Leitor Cristiano Taschetto enviou fotos do pilar danificado

domingo, 26 de outubro de 2014

Resultado final do 2º Turno, para Eleger o Governador do Estado do RS, na cidade de São Pedro do Sul - RS. IVO SARTORI (PMDB) 6.532 votos, 63,67 % dos votos TARSO GENRO (PT) 3.727 votos 36,33 % dos votos

Resultado final do 2º Turno, para Eleger o Governador do Estado do RS, na cidade de São Pedro do Sul - RS.

IVO SARTORI (PMDB) 6.532 votos, 63,67 % dos votos

TARSO GENRO (PT) 3.727 votos 36,33 % dos votos


terça-feira, 14 de outubro de 2014

SÃOPEDRENSE É ELEITA DEPUTADA ESTADUAL


Liziane Bayer da Costa é pastora na Igreja Internacional da Graça de Deus.

Nascida em São Pedro do Sul em 24 de janeiro de 1981, descendente de alemães, é a primeira filha de Alcides Bayer (na época Agricultor) e Neloci Abade Bayer (na época dona de casa e costureira) que saíram da roça para tentar uma vida diferente na cidade.

Em Santa Maria a família estabeleceu-se e recomeçou a vida como comerciantes. Liziane estudava e ajudava a família no comércio.

Em 1987 dois filhos de Alcides e Neloci, foram diagnosticados com epilepsia, Liziane e Emersom passaram a tomar muitos medicamentos. Liziane também apresentava problema nas articulações. Tudo o que a família lucrava no comércio gastava com o tratamento dos filhos. Foi nesta época que um conhecido falou de Jesus para o casal, que foram a igreja e conheceram a Palavra de Deus e experimentaram do milagre. Os filhos (Liziane e Emersom) estavam curados e livres de tratamentos e medicamentos. Ali foi o inicio de uma caminhada com Cristo.

Liziane estudava, ajudava na igreja dando aulas no ministério infantil e como obreira. Também trabalhou como babá e auxiliar de confeitaria. Com 15 anos (1996) a família mudou-se para Alegrete atendendo ao chamado ministerial de Alcides Bayer, que assumia o ministério pastoral. Em Alegrete, Liziane conheceu seu esposo e casou-se em 1998 com Daner Trindade da Costa, também pastor. Desta união, em 2003, nasceu Lael Bayer da Costa. Em 1998 Liziane e seu esposo Daner mudaram-se para Bagé onde ele assumiu a primeira igreja como pastor titular. No ministério também pastorearam nas cidades de São Borja, Santana do Livramento, Viamão, Cachoeirinha, Caxias do Sul, Porto Alegre, São Leopoldo.

Passaram também pelo Rio de Janeiro-RJ onde, ao lado do Missionário RR Soares, eram responsáveis pelo trabalho da USEM (União dos Servos Empresários). E por Curitiba-PR (Jan/2008-Abr/2011), onde Daner pastoreava e Liziane trabalhava no setor administrativo estadual da Igreja e na direção local da Rede Internacional de Televisão. Em 2011 quando retornou à Porto Alegre, Liziane começou, ao lado de sua mãe - pastora Neloci, um trabalho voltado às mulheres, denominado Mulheres Que Vencem. O trabalho se estendeu por todo o estado e em 2012 as Mulheres Que Vencem começaram uma programação na TV Pampa (todas às quintas-feiras das 7h às 8h30min), falando de assuntos relacionados ao dia a dia da mulher e da família. O ministério das Mulheres realiza encontros regionais e estaduais para alcançar mulheres de todas as idades e classes sociais.

Propostas:

Eu, Liziane Bayer, quero representá-los na Assembleia Legislativa, principalmente, em favor da família tradicional. Acredito que, para construção de um Estado forte, são imprescindíveis uma educação também forte, que se inicia dentro de casa com a família, aliada a um ensino de qualidade. Para levantar esta bandeira precisamos valorizar e respeitar os profissionais da área, e lutar por uma melhor distribuição dos recursos públicos para segurança pública e saúde.

Venha comigo nesta batalha pela fé, pela família e pela vida!

Fontes: - http://www.lizianebayer.com.br/

             - https://www.facebook.com/lizianebayerdacosta?ref=ts&fref=ts