domingo, 15 de setembro de 2013

STF, MENSALÃO E OS EMBARGOS INFRINGENTES


Texto de Semilto Laske, publicado na sua coluna do Jornal A Gazeta Regional de São Pedro do Sul, edição de 14 Set 14.

O que são: Os réus do mensalão, que tiveram pelo menos quatro votos a favor da sua absolvição na votação do processo, podem recorrer e sua condenação poderá ser reavaliada e modificada pelo plenário do Supremo Tribunal Federal, desde que o Supremo decida pela validade desses embargos.
ESTÃO “INFRINGINDO” A NOSSA PACIÊNCIA
INFRINGIR: Violar, transgredir, desrespeitar.
É isto que estão fazendo com a paciência dos brasileiros.
No FRIGIR dos ovos, para os figurões da república, sempre tem uma porta aberta para fugir da condenação.
É muito triste assistir passivamente a toda essa “comédia”!
Simplesmente nos fazem de bobos!
É uma decepção atrás da outra: seja no Supremo Tribunal Federal, seja no Congresso, seja no Executivo.
O Supremo Tribunal Federal é a última instância, nele, durante meses foi discutido o processo do mensalão, todos os 39 réus foram julgados, muitos condenados e alguns absolvidos. Portanto o processo devia estar concluído e os condenados deveriam cumprir suas penas.
Mas não! Surgem os “embargos infringentes” que permitem aos réus uma nova oportunidade.
E nesta semana os onze ministros do STF recomeçaram tudo de novo, votando a validade dos embargos infringentes de onze dos mensaleiros condenados, entre eles José Dirceu, Delúbio Soares, Marcos Valério, José Genoino e João Paulo Cunha, membros da NOMENKLATURA brasileira e filiados do PT, partido que governa o país.
De forma orquestrada, cinco votos foram a favor e cinco votos foram contra e no próximo dia 18, caberá ao mais antigo dos ministros, Celso de Mello desempatar.
Os mensaleiros, seus advogados e os interessados na revisão do processo, terão uma semana para trabalhar nos bastidores.
É praticamente certo que o Ministro Celso de Mello votará a favor dos embargos. Temos agora certeza de que a nossa suprema corte não é independente. Fica demonstrado que a escolha dos ministros pelo governo está equivocada. A escolha tem que ser de outra forma, independente, para que os ministros possam agir com liberdade nas suas decisões, sem dever favores a ninguém.
O colunista Paulo Santana, cidadão extremamente inteligente, matou esta charada na sua coluna do dia 11 de setembro, antecipando, antes de iniciada a votação no STF, o resultado.
Ele deduziu, em função da composição dos membros do Supremo Tribunal Federal - na sua maioria indicados pelos governos petistas – que eles votariam a favor dos mensaleiros em agradecimento à sua indicação para o STF. Na sua coluna de ontem ele reafirma a sua convicção de que o resultado da votação será a favor dos embargos infringentes.
Mas temos uma pequena fresta de esperança de que o senhor Celso de Mello vote contra os embargos e salve o Supremo Tribunal Federal. Pobre ministro Joaquim Barbosa! Deve estar sentido e chocado como a maioria dos brasileiros com este teatro em que se transformou o processo do mensalão.
Neste mesmo contexto é interessante que os leitores leiam na revista veja, edição 2338, o artigo “A MILIONÁRIA EQUIPE DE ROSE” que aborda o processo contra a ex-chefe do escritório da Presidência da República em São Paulo, Rosemary Noronha, amiga íntima de José Dirceu e muito próxima do ex-presidente Lula . Ela tem a sua disposição, para defendê-la, uma equipe de quase 40 renomados advogados brasileiros cujo custo é estimado em um milhão de dólares. Quem está bancando esse custo?
A Rose está desempregada e possui, como patrimônio, apenas um carro usado e dois apartamentos avaliados em R$- 370.000,00. Não tem como desembolsar um milhão de dólares.
Tem caroço nesse angu! E bem grande!
EMBARGOS INFRINGENTES.
Contatos: semiltolaske@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário