domingo, 3 de julho de 2011

Modificações na XV de Novembro geram protestos (Fonte: Jornal Cidadão)


Após ter recebido asfalto em quatro quadras, um projeto para tornar o trânsito mais seguro foi implantado na rua XV de Novembro, com de proporcionar maior segurança para pedestres e motoristas, coibindo abuso de velocidade e prática de manobras perigosas pelos condutores. O eixo da via foi demarcado com tachões refletivos (olhos de gato), foram construídos redutores de velocidade e pintadas faixas de segurança. Mas, as principais modificações aconteceram próximo a ponte seca, abrangendo a XV de Novembro, inicio da Walter Jobim e entrada para a Vila Santo Antonio. As primeiras modificações já completam um mês, mas
desde o começo as novas regras dividem opiniões. Há quem aprove o novo traçado da via. Para esses, o principal argumento é que melhorou o aspecto da segurança. E, há também quem não vê as coisas apenas por esse ângulo, considerando que as mudanças trouxeram mais transtornos e prejuízos do que benefícios. Entre esses estão moradores, comerciante e profissionais, principalmente motoristas que estão enfrentando dificuldades em virtude do estreitamento da pista e proibição de estacionar em um trecho de aproximadamente 100 metros. Os moradores dizem que antes das obras serem executadas, haviam sido informados de que haveria proibição de estacionar somente após o telefone público, nos dois lados da via, até a ponte seca e que na prática ficou proibido estacionamento desde o redutor de velocidade em frente ao Armazém Parcianello. Afirmam ainda que há diferença entre o projeto apresentado pela prefeitura na audiência pública realizada na Câmara para debater alternativas para tornar o trânsito na área central mais seguro e a obra que foi realizada. A principal reclamação dos moradores é a dificuldade de sair e chegar em casa de carro. Já os comerciantes da região reclamam da queda no movimento e nas vendas desde que o projeto foi executado. O Açougue Pampa, há 20 anos estabelecido no local, é um dos estabelecimentos que estaria sendo prejudicado com as modificações do trânsito em virtude da construção do refúgio para a entrada da Vila Santo Antonio. Conforme o empresário Marcelo Koelher, o movimento diminuiu cerca de 40% no último mês.
- Como não dá para estacionar e nem fazer retorno aqui perto, os clientes acabam desistindo de chegar. Até mesmo nos finais de semana, quando chegava a se formar fila até a porta, o movimento diminuiu drasticamente - Já falamos com o prefeito e com o secretário de Obras Loreni Maciel, mas eles dizem que o projeto é assim e não será alterado – lamenta o empresário. A alternativa encontrada por ele para tentar garantir sua clientela foi desmanchar o jardim em frente ao prédio para construir um estacionamento.
Outro que viu a clientela desaparecer e as vendas despencarem foi o empresário Paulo Belles, proprietário da fruteira e mini-mercado, há 15 anos. Segundo ele, o movimento caiu em média 50%. - Nossas vendas são rápidas, o cliente estaciona na frente, compra o que precisa e vai embora, principalmente quem está de passagem. Agora, sem poder estacionar, as pessoas desistem de chegar – conta. Apesar do estacionamento próprio, a Ferragem Ipiranga, empresa com mais de 50 anos no endereço, também enfrenta transtornos. O
proprietário Jorge Vön Mühlen diz o movimento diminiui cerca de 10% depois da mudança na via. - Quem vem do centro não pode entrar direto, tem que ir até a avenida fazer o retorno e com isso acaba desistindo. Por quanto tem alguns que se arriscam e passam por cima dos tachões, mas daqui a pouco vão começar a multar, e daí? Tá uma anarquia! - critica. Mas de acordo com ele, o principal transtorno é quanto as carretas que precisam manobrar para descarregar material Um dos pontos comerciais mais tradicionais da XV de Novembro, o Armazém Parcienello também está sentindo os reflexos da mudança. Para os proprietários, além da falta de estacionamento, o barulho por causa do redutor de velocidade em frente é o que mais incomoda. O prefeito Marcos Senger rebate as criticas dizendo que o projeto foi elaborado após estudo detalhado e não sofreu nenhuma alteração.


O jardim da residência dos proprietários do Açougue Pampa deu lugar a um estacionamento

4 comentários:

  1. André M. Marques4 de julho de 2011 01:02

    Tenho saudade do tempo em que se andava de bicicleta ou a pé pelos paralelepípedos, sem ter que disputar espaço com todos os automóveis, pois a via era sensivelmente mais espaçosa.

    ResponderExcluir
  2. Sempre tem alguém para reclamar mesmo! O Asfaltamento venho em boa hora a unica coisa que deixou a desejar um pouco foi a altura das lombadas no más ficou muito melhor!

    ResponderExcluir
  3. sao pedro ja e uma cidade inutil eles (prefeitura) fazem essas obras para parecerem que estao fazendo algo de bom. sai de sao pedro a 12 anos e sempre que volto a cidade a passeio ela esta pior

    ResponderExcluir
  4. o transito de sao pedro do sul não é mais o mesmo de 10-15 anos atrás. todas essas benfeitorias sao necessarias para que haja mobilidade para todos. em pouco tempo, a xv de novembro será via de acesso para o centro da cidade, enquanto a rota de saida, será pela silva jardim. mesmo quando foram criados, a anos atrás, esses estabelecimentos já tinham problemas de estacionamento. nao haviam maiores transtornos, porque o fluxo de veiculos era menor.

    ResponderExcluir